terça-feira, dezembro 09, 2003

Confiança

Andam aí estudos que nos dizem que somos o povo mais desconfiado da Europa. Eu não estranho. Acredito piamente quando me dizem que os portugueses não confiam na polícia, na justiça e que acham que os deputados europeus inspiram mais confiança que os nacionais, que é o mesmo que dizer que não gostam nem querem ouvir falar dos políticos indígenas. Mas sinceramente, não me admiro com nada disto nem com o facto dos portugueses desconfiarem uns dos outros, o que até acho simpático (era muito pior se em vez de desconfiar andássemos aos tiros uns com os outros).
Mas há mais um mal com a confiança portuguesa que não identificaram: o excesso. Isso mesmo, o excesso de confiança.
Só este excesso pode explicar o número de assassinos e de mortos nas estradas, os adeptos fanáticos da Selecção, a confiança cega de que isto vai melhorar de um dia para outro e por obra de qualquer milagre do Santo padroeiro, as projecções económicas da D. Manuela e a hipotética vitória do Sr. Santana à Presidência da República.