quarta-feira, janeiro 21, 2004

Madeira Região Europeia 2004



A Madeira é Região Europeia 2004 e como tal, ao longo deste ano, pretende promover pelo menos um grande acontecimento cultural por mês. Depois de Josep Carreras em Janeiro, seguir-se-á, com esta orientação, Dulce Pontes em Fevereiro, Diana Krall em Março e Joaquín Córtes em Abril. Falta ainda programar oito iniciativas correspondentes aos oito meses que restam, mas pelo cartaz acima descrito, nada nos custa arriscar, que a Madeira terá qualidade garantida ao longo de um ano inteiro e razão para se sentir orgulhosa pelo sucesso da iniciativa.
Nos sítios mais pequenos, marcados pela interioridade ou pela insularidade (como é o caso da Madeira), estes acontecimentos são marcantes e verdadeiramente revolucionários no modo como se encara a cultura e na influência que podem gerar, nomeadamente, junto das elites.
A Madeira dá, assim, exemplos de que há pequenas grandes coisas que se podem ir promovendo que dão os seus frutos, atingem os seus objectivos e transmitem a sensação de dever cumprido sem grandes megalomanias, como é exemplo, não me canso de referir, o Euro2004. Mas como sempre, e novamente, é tudo uma questão de prioridades e de opções: de prioridades de desenvolvimento e de opções políticas, como é óbvio. Tudo o resto passa ao lado.