terça-feira, fevereiro 17, 2004

Carrilho e a câmara fotográfica

O Dr. Carrilho, figura enigmática do socialismo português, ficou muito irritado com um paparazzi que esperava à porta de sua casa uma oportunidade para fotografar a sua mulher, Bárbara (antiga namorada de um tipo de cabelo azul), e o novo rebento deles, um bebé com pouco tempo de vida.
O Dr. Carrilho, armado em bárbaro frente à Bárbara, devia perceber que quem não gosta de ver a sua intimidade violada não a vende a troco de umas patacas (viagens e estadias incluídas) às revistas cor-de-rosa da aldeia, como tantas vezes, para se dar a conhecer, ele fez. A fama é muito ingrata e o sucesso é, evidentemente, uma faca de dois gumes como muitos dos colunáveis do país só muito tarde entende. Com o Dr. Carrilho parece que também é assim.