quinta-feira, maio 13, 2004

Floristas

Passo pela zona das floristas junto à Sé Catedral do Funchal. Antigamente (quanto tempo é preciso passar para dizermos antigamente?) estas mulheres passavam o dia a tentar cativar os clientes, exibindo as flores ou dizendo qualquer coisa em voz alta que atraísse a atenção vestidas com os seus trajos característicos. Tempos áureos.
Hoje as coisas parecem-me um pouco diferentes: o dia está mais ou menos solarengo e as duas floristas que lá estão entretêm-se a falar alto ao telemóvel não ligando peva às pessoas que por ali deambulam com ar demasiado apressado. Será que o negócio vai assim tão bem? Não haja dúvida: a crise parece que não chegou à floricultura.