terça-feira, setembro 21, 2004

Colocações

Por aí corre o boato que a principal responsabilidade do atraso na colocação dos professores advém da mudança de software, que fazia precisamente estas complicadíssimas operações, quando nada o justificava. Diz-se ainda que tudo foi feito apenas para beneficiar uma outra empresa mais ligada ao partido do poder e porque esta última garantia uma maior fiabilidade e a modernização de um sistema aparentemente com necessidade de evolução. Os resultados estão à vista: o óptimo, como sempre, é inimigo do bom, ainda para mais quando resulta de um plano de boas (ou talvez deva dizer pouco transparentes) intenções. Reina o caos no ministério e o desespero entre os professores. Por arrasto, milhares de alunos são directamente prejudicados, mas não deixa de ser divertido assistir ao circo ao mesmo tempo que se cava a sepultura.
No país da OCDE com menos dias de aulas e de paupérrimos resultados, quase no fim de Setembro, ainda ninguém sabe quando realmente vão começar as aulas. Culpados? A ver vamos. Por agora, há mais um sistema a abater (não sei se o mesmo do Dr. Dias da Cunha). Tudo o resto é já do domínio do absurdo. Que triste espectáculo.