sábado, dezembro 25, 2004

Orçamento

O governo decidiu publicar na imprensa um folheto sobre o orçamento onde explicava as grandes linhas orientadoras e estratégicas. A esquerda não gostou, vociferou e esperneou e diz que é propaganda porque qualquer tentativa de explicar alguma coisa aos portugueses, vinda da direita, é propaganda. A direita, através do sisudo ministro Sarmento, diz que a coisa não chegou aos cem mil euros e que para informar os portugueses isso é manifestamente irrisório (mesmo que pelo meio tenha havido alguma trapalhada). Eu acho bem: acho bem que o governo tente explicar a bem as coisas que faz; acho bem que se dê aos portugueses instrumentos de avaliação para além da censura, dos fait-divers e dos comentadores a soldo de interesses obscuros; acho bem que a direita chateie a arrogante esquerda que se julga vencedora antecipada e detentora de toda a verdade.
Esta nova atitude do Governo, ao contrário do que se diz, é corajosa e deve ser incentivada e mantida no futuro porque perante o actual clima de ataque permanente – e mesmo que assim não fosse – é bom para o Governo manter canais de comunicação directos com os seus cidadãos. Por duas razões. Primeira, porque explica a sua visão das coisas; e, segunda, evita o ruído e os preconceitos das mentes que por aí abundam.