quarta-feira, janeiro 12, 2005

A bem da saude publica!

Vivemos nas trevas. No breu! Voltamos a era dos fundamentalismos, moralismos, e outros ‘ismos’ que os mais optimistas julgavam ja ter sido erradicados pelos ventos da Historia. No meio disto tudo, todos os prazeres nos estao a ser negados. Sim, falo-vos dos prazeres. Chega da conversa dos direitos, que esses ja nos sabemos perdidos. Mas os prazeres, oh meus senhores! E e que depois, aqueles que do alto da sua moral se autorgam a condenar os prazeres nao se contentam com a auto-imolacao. Sao uns invejosos e, qual calvinista puritano, usurpam os outros das pequenas alegrias que uma vida quase ja sem direitos ainda nos tem para oferecer. Falo-vos do tabaco. Comecou nas sociedades Anglo-Saxonicas, onde tudo e todos e e sao passivel de processo legal. Vai dai, e depois de dispendiosas batalhas juridicas com as tabaqueiras, os governos decidiram proibir fumar em locais publicos, nomeadamente bares e restaurantes, a bem da saude publica. Voces desculpem! A bem da saude publica! A bem da saude publica e mundial os EUA deviam cessar a venda de automoveis e confiscar outros tantos. A bem da saude publica e mundial os EUA deveriam assinar o acordo de Kioto. A bem da saude publica, os MacDonalds deste mundo deveriam ser proibidos. A bem da saude publica as redes de distribuicao de agua dita potavel deveriam ser mais eficientemente vigiadas. A bem da saude publica deveriamos todos andar a pe ou de mascara nas trombas para nao inalar os gases dos autocarros e dos carros. A bem da saude publica as familias com lareirinha deveriam deixar de queimar os seus plasticos e restante lixo ao lume (as tantas os mesmos que se queixam da inceneradora no seu distrito…). A bem da saude publica as pessoas deveriam ter acesso a informacao referente ao que comem, bebem e inalam. Deveriam ser consumidores informadissimos. Nao conheco consumidores mais bem informados que os fumadores. Isto e, malta que se mata com o pleno conhecimento de que se esta a matar. Nao acorda um dia e esta a ser bombardeado. Por isso, olhem, gostei das declaracoes daquele gajo, o Luís Filipe Pereira, que, confesso, nao faco a minima idea de quem seja, para alem de que e o ministro da saude. Mas sera por ventura um bom fumador. Disse ele que nos locais onde as pessoas sabem o que as espera, a proibicao de fumar nao devera ser imposta. Ora, vai-se a um restaurante ou a um bar onde nenhum sinal indica ser um estabelecimento proibitivo de fumar, entra-se e mesmo que nao se seja fumador, leva-se com o fumo dos que, consciente e informadamente, optam por se matar, a bem da saude deles. Imaginem que um dia destes proibem-nos de beber. Ai entao e que vai ser! A malta vai a um bar fazer o que? Pelos deuses! Nao nos queiram fechar em casa a ver televisao: o BB ou a ‘Quinta’. A bem da saude publica!