quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Sócrates e os boatos

Sócrates não teve qualquer pejo em utilizar um boato vindo a público no Público, em que o Prof. Cavaco insinuava que desejava uma maioria absoluta do PS (notícia escabrosa como se demonstrou), para fazer campanha eleitoral a seu favor e daí procurar tirar nítidos dividendos. Tiro pela culatra. O Eng. Sócrates não pode utilizar o efeito do boato apenas quando lhe convém, sob pena de estar a ser conivente com a sua propagação e manipulação política. E ele, melhor que ninguém, devia saber isso porque ainda recentemente foi vítima de uma campanha do género. Ou será que agora o boato já pode ser utilizado? Bem prega Frei Tomás...