segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Surrealismo político

No campo do surrealismo político ninguém bate o Partido Humanista na Madeira. O PH (não sei se é neutro) apresenta como cabeça de lista pela Madeira um candidato que nunca esteve cá (é verdade, estão a ler bem: o candidato do PH nunca esteva na Madeira ou mesmo no Porto Santo. Também se aceitava Desertas ou Selvagens, mas nem isso...). Apesar disso, o ilustre senhor, homem de refinado carácter, garante ter conhecimento de que há uma economia paralela que prejudica o desenvolvimento madeirense, facto que por si só lhe deve garantir, quem sabe, a sua entrada na Assembleia da República. Claro que pelo meio, debitou algumas coisas sobre a autonomia e o seu aprofundamento. Mas não se percebeu muito bem o quê. Falar por telefone tem sempre destes inconvenientes. Pela coragem, pela originalidade da candidatura, e claro, pela distinta lata, eu aposto que o PH deve chegar aos…. 32 votos. Em toda a Região. Já não era nada mau.