quinta-feira, abril 14, 2005

Esquemas II

Petit, jogador do Benfica e internacional português, foi incorrecto. Jogou duro. Não como o costuma fazer no relvado, mas por palavras. Não está em causa que foi incorrecto. Agora fazer disso motivo de tanta celeuma será porventura mais exagerado do que o acto original. Também não me recordo de ler nestas páginas muitas críticas ao Karaté personalizado dos jogadores do Porto, ou ao “mau feitio” arruaceiro de Sá pinto ou Rui Jorge ao que parece peritos em diálogos nos túneis de acesso ao relvado. Não será de excluir desta lista os maneirismos futebolísticos dos jogadores do Boavista, que conjugam o Karate do Porto com o estilo arruaceiro de alguns leões.
Quanto a esquemas, será no mínimo demagógico não aceitar que são prática comum na estrutura e organização do futebol português, tal como é demagógico dar exagerada atenção ás palavras de Petit. Partamos de um pressuposto óbvio: nada ou quase nada vale a pena no futebol português. Ainda assim se quiserem falar de futebol, o Benfica empatou e empatou bem.