terça-feira, maio 24, 2005

Indira Gandhi

Este país, que se comemora como nenhum outro, olha melancólico para aqueles que além-fronteiras são capazes de vencer e de progredir na vida. Em praticamente todos os cantos do mundo há portugueses – ou pelo menos há um qualquer mito que nos diz isso – que vencem, que lutam, que ajudam a erguer cidades e países. O paradoxo é então evidente: lá fora somos tudo; cá dentro somos nada.
Também um dia Indira Gandhi se viu confrontada com a inevitável pergunta: “A primeira-ministra pode-nos explicar porque é que os indianos parecem triunfar sob todos os governos do mundo, com a honrosa excepção do seu?”