segunda-feira, maio 16, 2005

O campeonato

Não sou do Benfica mas desejo loucamente que o Benfica seja campeão. Já não aguento tanto grito e tanto entusiasmo de quem tem uma espécie de contas a ajustar com o mundo. Na realidade, há já oito ou nove jogos que toda a gente percebeu que o Benfica, custasse o que custasse, seria o novo campeão nacional de futebol. Estava escrito nas estrelas, como dizia o outro. Bastou ver o conjunto de golos polémicos e de lances controversos sempre assinalados para o mesmo lado e com o mesmo objectivo para que esta minha ideia ganhasse forma e conteúdo: livres, expulsões, cargas sobre o guarda-redes, penaltis por assinalar, foras-de-jogo, jogos de bastidores, jogos no Algarve, etc, etc. Mas mal por mal, que duma vez se entregue as malditas faixas porque já ninguém aguenta tanto rancor e sentimento recalcado dos tais seis milhões. E já ninguém aguenta as buzinas. E já ninguém aguenta aquela gente a gritar histérica à frente da televisão. E já ninguém aguenta aquele bicho-do-mato que come relva em directo e que é, dizem, dono de um restaurante muito conhecido (Deus me livre de lá pôr os pés). E porque já ninguém aguenta o ridículo do Álvaro, o lamecha do Vieira, o burlesco do Veiga ou o nebuloso do Trappatoni. Já me chega de ladainhas, de choros, de idiotias, de rancores, de egotismos escabrosos, de complexos de superioridade por concretizar desta suposta nação. Não gosto do Benfica, mas desejo, peço e rezo, que ele seja campeão. A sério que já não aguento. Por arrasto, levem também a taça para ver se não chateiam por algum tempo. Será desta que veremos cumprido o teorema que nos diz que o país é melhor quando o Benfica é campeão. Até nisto o Sócrates tem sorte.
Maquiavel se fosse vivo, perceberia como afinal muitas vezes continua a ter razão: os fins justificam os meios, como ao longo destes penosos meses se tem vislumbrado e por mais que toda a gente ande distraída com os atropelos à verdade desportiva. Ontem e anteontem a olhar para a televisão e para uma euforia extemporânea e sem razão (porque afinal ainda não ganharam nada) percebi porque é que o Estado Positivista de Comte nunca acontecerá. Não sou do Benfica mas desejo loucamente que o Benfica seja campeão.