quinta-feira, novembro 03, 2005

Fundamentalismos mundanos da pós-modernidade...

O titulo é pomposo, mas a questão é bem simples. Falo-vos da paranóia pós-moderna em relação aos fumadores. Assisto com curiosidade ao debate actual que demoniza os fumadores, fazendo pesar sobre os seus ombros as culpas de todos os males e maleitas de saúde. Esta seita de gente que se fuma até ao cancro deverá ser banida, colocada sob uma espécie de quarentena diária, sujeita a um novo tipo de ‘apartheid’ que impedirá a contaminação dos saudáveis e felizes não fumadores. Bastas vezes escuto com curiosidade os acesos argumentos dos saudáveis. Um discurso ponteado de possessivos: ‘sim porque eu e os meus filhos não temos de estar a sofrer as conseqüências dos vícios privados dos outros. Trata-se da minha saúde’. Bom, só para vos dizer que considero este discurso uma hipocrisia. Mais. Resolvi até não mais me chatear com o deixar de fumar, só para meter nojo. Muitos do saudáveis fazem-me a mim sofrer devido aos vícios privados deles, entre os quais, o vicio do petróleo. A poluição por veículos motorizados esta intimamente relacionada (muito mais do que a frágil relação entre tabaco/cancro no pulmão) com o aumento de leucemias, e problemas respiratórios, nomeadamente nas crianças. Ora eu não tenho carro, não ambiciono ter carro, e desprezo (sim, desprezo tanto quanto me desprezam a mim por fumar) quem e dependente do carro e demasiado burguês para andar de transportes públicos. Se argumentam que a rede de transportes públicos não e boa, então o mesmo vigor que colocam na luta contra o tabaco, coloquem numa nobre luta cívica pelo desenvolvimento da dita rede. Do mesmo modo, eu defendo a criação de uma taxa acrescentada sobre o preço das passagens de avião, a chamada taxa da poluição, bem como concordo com a aplicação desta mesma taxa aos veículos motorizados num valor proporcional à cilindrada. O lucro destas acções deverá reverter para instituições publicas que fazem investigação na área das energias alternativas. É que os saudáveis fundamentalistas, que se enchem de ‘fast-foods’, esquecem-se que pelo menos em Inglaterra, cada vez que eu compro um maço de cigarros estou a pagar uma taxa que reverte para o ‘Cancer Research Institute’. Portanto, eu como fumadora faço muito mais por eles do que eles por mim. Eu pago o tratamento das leucemias deles, por assim dizer...