quarta-feira, janeiro 25, 2006

As últimas eleições presidenciais demonstraram que

(1) Os políticos portugueses são tão maus no geral, que as opções que se nos apresentam em momentos de escolha democrática são todas igualmente pobres e resumem-se ao refugo, (2) a cultura democrática dos portugueses está ainda numa fase tão infantil que: (a) o candidato mais votado é um tipo que não apresenta uma ideia durante a campanha eleitoral, não diz nada a não ser ‘não faço comentários’; (b) o partido do candidato vencedor faz uma campanha baseada na ideia errada de que a partir de agora, quem governará será o presidente; (c) O povo acredita porque ainda acredita na política do ‘one man show’ à lá regime autocrático, ou não acredita mas não está para se chatear e ir votar numa segunda volta.

Aqui há tempos um deputado do CDS/PP, na sessão de desperdício de tempo com o Procurador Geral da República, afirmava que Portugal não era o Burundi. Tenho as minhas dúvidas…